A visualizar apenas posts colocados no ano de 2012

Aproveitei este feriado para testar o Windows 8, afinal mais de 4 milhões já efectuaram o upgrade e, apesar de algumas opiniões negativas, estava com uma expectativa positiva sobre este novo sistema operativo.

Afinal estava enganado.

Windows 7 vs Windows 8

O Windows 8 poderia na realidade ser apenas uma aplicação que adiciona um programa chamado Metro e remove algumas funcionalidades do Windows. Uma destas funcionalidades que foi removida foi algo a que a Microsoft nos habituou nos últimos 17 anos e nos formatou a usar: o menu Iniciar.

Nem tudo é negativo, e dependendo do uso que se dá ao computador o Windows 8 até pode ser interessante, mas para mim não serve.

O menu Iniciar

Com o Windows 8 o interface Metro passa a ser o menu Iniciar. Podemos adicionar lá as nossas aplicações mais usadas, mas alterar entre o Desktop e um interface completamente diferente quando bastava um clique no canto inferior esquerdo do ecrã não me convence. Principalmente porque se quiser aceder a todas as minhas aplicações tenho que fazer clique com o botão esquerdo do rato e clicar em All Apps.

Pior ainda é deixar de existir uma barra de pesquisa que é bastante útil no Windows 7 e me permite pesquisar por um programa rapidamente.

Desligar o computador

Desligar ou reiniciar o computador passou a ser uma maratona. Com o Windows 7 bastam 2 cliques, com o Windows 8 é preciso colocar o rato no lado direito do ecrã, aguardar que apareçam as opções e fazer mais 3 cliques. É preciso aceder a um menu de definições para conseguir desligar o computador.

Aero Glass

O aspecto do Windows 8 é horrível. A linguagem de design Metro é interessante, o novo site da Microsoft está muito bom e a ideia para o Metro funciona bem. Mas ao usar o computador normalmente, não ter o Aero Glass faz-me sentir que estou de volta ao Windows XP ou com um computador muito fraquinho no Windows 7.

Aplicações?

As aplicações na loja do Windows 8 são poucas e as que existem não passam de um browser fullscreen com algumas opções adicionais para aceder a sites que já existem. A aplicação do Google por exemplo não coloca nenhuma barra de pesquisa que permita um input directo do interface do Metro. Em vez disso abre uma aplicação que demora tanto a carregar como se abrisse o Internet Explorer e mostra a página inicial do Google.

Na realidade as aplicações do Windows fazem-me lembrar o Speed Dial do Opera, onde temos uma lista de sites favoritos e nos são apresentadas as novidades desses sites de imediato ao abrir o browser.

Nem tudo é negativo

A interface do Metro permite aceder rapidamente a emails e ao calendário por exemplo. Coloquei o meu email do GMail e rapidamente tive acesso a estas informações. Para quem tem um computador apenas para aceder às redes sociais e ver o email então o Windows 8 é um bom upgrade, mas para quê ter um desktop? Que tal um telemóvel ou tablet?

Para quem continua a usar o computador para trabalhar então o Windows 8 não é uma boa aposta. Pensei que com o 8 a Microsoft fosse quebrar a linha de um sistema operativo bom seguido de um mau, mas infelizmente parece que o Windows 8 é o novo Vista.

A tua password é segura? Se tem 6 caracteres com letras maiúsculas, minúsculas e números então alguém com uma simples Radeon HD 5770 consegue descobrir a tua palavra-passe em menos de 5 segundos.

Mas decorar uma password complexa é impossível, por isso aqui ficam umas dicas para escolher palavras-passe seguras.

Palavras-Passe seguras

Actualmente com uma simples placa gráfica e o ighashgpu é possível descobrir passwords “complexas” em pouco tempo. A capacidade de processamento de um GPU é muito superior ao de um CPU, enquanto que um CPU iria demorar 17 segundos a descodificar uma password como pYDbL6, um GPU precisa de apenas 4 segundos com o ighashgpu.

E como é que isto te afecta? Bom, nem todos os sites onde usas passwords encriptam estes dados de forma segura. Existem programadores desleixados que guardam as passwords em texto ou apenas encriptam com md5, e contra mim falo que já fiz os mesmos erros.

Não tens maneira de saber se o site onde te estás a registar é seguro (excepto se o indicarem na politica de privacidade por exemplo), então o melhor é tomarmos medidas preventivas para evitar que os teus dados sejam usados por terceiros.

Usar palavras-passe seguras

O primeiro passo é criar uma palavra-passe segura e complexa. Actualmente uma password com 8 caracteres pode ser considerada obsoleta, mas o nosso cérebro não é bom a decorar passwords. UJ7&f-{)Yi54ut é uma boa password, mas quem é que vai decorar algo tão complexo?

É por isso que sou adepto das passprhases, por exemplo Eu vi um Sapo, tralalala… é bastante simples de escrever e de decorar. Mas estou a usar palavras que vêm num dicionário e isso vai contra tudo o que leste na net. É verdade, se usares frases comuns como I have a dream! ou nomes de músicas como Gangnam Style estão a facilitar a vida dos hackers. Mas qual acham que é a password mais segura?

UJ7&f-{)Yi54ut equivale a uma protecção de 89 bits enquanto que Eu vi um Sapo, tralalala… equivale a uma protecção de 120 bits. A diferença são vários anos entre elas para crackar e não precisam de a escrever num papel.

O ideal é usar uma frase que seja fácil de lembrar e que seja especifico a ti mas que não seja fácil de adivinhar por outras pessoas. Por exemplo, uma boa passphrase para o Hélio Imaginário seria O medo a mim não me assiste! com uma segurança de 135 bits, mas como o seu vídeo tornou-se viral já não é boa ideia ;)

Sites que não aceitam a minha password

Nem todos os sites aceitam passwords com espaços e aplicam limites máximos ao tamanho de uma password, o que complica a tarefa de criar uma passphrase. Aqui podemos criar a password EuviumSapo,tralalala… que tem um nível de protecção de 107 bits por exemplo. Mas isto só se aplica se quisermos memorizar a password na nossa cabeça.

Uma palavra-passe para cada site

O ideal em termos de segurança é ter uma palavra-passe para cada site. É impossível memorizar tanta palavra-passe, mas podemos usar aplicações que facilitam esta gestão. Por exemplo o Opera tem um gestor de passwords que memoriza e encripta as passwords de vários sites em 3DES e ainda permite sincronizar essa informação entre computadores com o Opera Link.

Existe ainda o LastPass que faz uma gestão semelhante e tem plug-ins para vários browsers, incluindo Apps para Android, Windows Phone 7 e iOS. Se não confias em ter a tua password online podes usar o KeePass que tem um nível de segurança surpreendente.

Assim apenas necessitas de memorizar uma passphrase e podes gerar passwords aleatórias para cada site sem necessitar de saber quais são.

E porque é isto importante?

Vamos supor que usas em todo o lado a password password123 e um desses sites com a tua informação pessoal (email, username) é atacado. A partir daqui os teus dados podem ser usados para aceder a outros serviços como a tua conta de email ou o teu perfil do Facebook.

Se por acaso souberes que existiu um ataque e fores informado disso vais ter que andar a alterar todas as tuas passwords. Se tiveres uma password por site apenas tens que criar uma nova password para aquele site, e ao usares uma password complexa tens uma garantia que esta não será decriptada tão facilmente.

Está na altura de analisar os dados do 3º trimestre de 2012 sobre o que usam os portugueses para navegar na web.

Estatísticas

 

Browsers
Browsers

O Internet Explorer e o Firefox tiveram quedas acentuadas com o Google Chrome a subir. O Safari também subiu graças aos utilizadores do iOS, assim como os utilizadores de Android.

A versão 9 do Internet Explorer é usada por 52% dos utilizadores deste browser, enquanto que 40% usa a versão 8. Apenas 0.7% ainda usam o IE6, enquanto que os restantes dividem-se entre a versão 7 e 10.

Sistemas Operativos
Sistemas Operativos

Nos sistemas operativos aumentam apenas o número de utilizadores com Android e iOS, sendo a utilização de cada um destes sistemas operativos superior aos utilizadores de Mac. Nos sistemas operativos móveis o Android continua com mais utilizadores que o iOS.

Resoluções
Resoluções

As resoluções de ecrã mantêm-se praticamente inalteradas, apenas existiu um aumento das resoluções típicas de telemóveis.

As estatísticas aqui apresentadas são provenientes de vários sites com um público alvo generalista. São incluídos os dados de cerca de 200.000 utilizadores únicos baseados em Portugal.
Os dados aqui apresentados podem não corresponder ao público alvo do seu website.

É impossível melhorares a forma como fazes um site se continuares a fazer os mesmos erros vezes sem conta. Se o teu site ainda tem alguns destes 5 sinais então provavelmente ele pertence à década passada.

Site típico do final dos anos 90

1) Introduções em Flash
1999 telefonou, eles querem a introdução em Flash de volta. O teu site não é nenhum filme que precise de uma introdução, e se vais fazer os teus utilizadores esperar mais de 3 segundos para conseguir ver o conteúdo do site eles vão-se embora.

2) Sites totalmente em Flash
Um site todo em Flash faz todo o sentido em conteúdos interactivos como um jogo para crianças, um simulador de um telemóvel ou um configurador que permita ver o interior e exterior do carro a 360º (embora existam alternativas actualmente). Se usas o Flash apenas para fazer alguns efeitos ou porque “é fixe” então estás mais de 10 anos atrasado.

3) Contadores com o número de visitas
Se tens um contador de visitas visível no teu site então deves ser um verdadeiro dinossauro da Internet, principalmente se o teu contador for da Bravenet. Passa a usar o Google Analytics e controla quem realmente visita o teu site. Ah, e sabes o significado de Hits? HITS: How Idiots Track Sucess.

4) Múltiplos scripts
Nada melhor para melhorar um site do que ter múltiplos scripts que em nada melhoram a experiência do utilizador. É giro entrar no site de uma empresa que vende alfaces e ter um livro de visitas, um script que mostra onde me encontro e o browser que uso (wow, eu não fazia a mínima ideia que estava em casa a usar o Opera, obrigado site!) e um script de suporte online que está sempre offline.

5) Música de fundo
Será que entrei num elevador? Normalmente num elevador a música é calma… Ah espera, é mesmo o teu site! Entrar num site e levar com música ou outros sons é mau. Imagina que sempre que entras no Google começava a tocar alto e bom som A Cabritinha do Quim Barreiros, podes ter a certeza que o Bing passava a ser o motor de busca mais utilizado.

Sem grandes alterações sobre as estatísticas do último trimestre, vamos analisar o que usam os portugueses para navegar na net.

Estatísticas

 

Browsers
Browsers

Nos browsers os utilizadores estão agora a passar o Internet Explorer para o Chrome que já conta com 25% de utilização. O Opera e o Safari sobem também ligeiramente.

A versão 9 já conta com a maioria dos utilizadores do Internet Explorer, não chegando a versão 6 e 7 em conjunto a 5% dos utilizadores do IE.

Sistemas Operativos
Sistemas Operativos

Nos sistemas operativos não existem grandes alterações, apenas se regista um aumento de utilizadores com dispositivos móveis. A grande maioria continua a usar Android e iOS. Symbian, BlackBerry e Windows Phone 7 não chegam juntos a 1% dos utilizadores com dispositivos móveis.

Resoluções
Resoluções

As resoluções de ecrã continuam sem grandes alterações

Com um ligeiro atraso, vamos então analisar as últimas as estatísticas do que usam os portugueses para navegar na web.

Estatísticas

 

Browsers
Browsers

Nos browsers o Chrome passou a ser o segundo browser mais utilizado, tendo passado o Firefox. O Internet Explorer conta agora com menos de 50% dos utilizadores.

O número de utilizadores com o Internet Explorer 9 já se encontra próximo dos utilizadores com o IE8.

Sistemas Operativos
Sistemas Operativos

Nos sistemas operativos temos o Windows e Mac a perder utilizadores para os dispositivos móveis, levando o Android a vantagem. O Windows XP e Vista a continuam a perder quota de mercado em favor do Windows 7.

Resoluções
Resoluções

As resoluções de ecrã não têm grande alterações com a resolução de 1024×768 a descer no número de utilizadores.

Tenho acompanhado a série Home of the Future que passa no Channel4 e ando a descobrir algumas coisas interessantes. Nunca fui muito dado a gadgets mas mostram lá algumas coisas úteis como uma ventoinha da Dyson sem pás e que pode ser silenciosa a baixas velocidades.

Dyson AM02 Tower Fan

Fanático pelo silêncio como sou claro que tive que investigar. Aparentemente funciona de forma semelhante a um jacto para puxar e acelerar o ar, e como não tem pás a rodar é seguro para quem tem crianças ou animais em casa. O design também é porreiro.

O grande problema destes gadgets é o preço. A 450USD ficamos com valores muito próximos de um ar condicionado mediano que faz frio e calor.

A série é interessante, tem mostrado uns gadgets que controlam a quantidade de electricidade, água e gás que gastamos. Temos até estufas interiores onde podemos plantar tomates ou ervas de cheiro dentro de casa. E claro, o gadget mais esquisito que vi até hoje, um caixote do lixo que tira fotografias do que colocamos no lixo e publica no Facebook. O objectivo é obrigar o pessoal a reciclar, humilhando-os publicamente se lá colocarem lixo que podia ser reciclado. Deve ser um produto com muita saída :lol:

 
Copyright © 1985 - 2014 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.