A visualizar apenas posts colocados no ano de 2010

Tenho duas boas notícias. O Futurama voltou para uma 6ª temporada, desta vez na Comedy Central, e no terceiro episódio gozaram com o iPhone, a Apple, os seus fãs e o Twitter / Youtube. É caso para dizer “Bite my shiny metal ass”

Futurama e o eyePhone

Não quero adiantar muitos detalhes para não estragar a surpresa a quem ainda não viu o episódio, mas quem melhor que a Mom para fazer de Steve Jobs?

No entanto este episódio já está a gerar polémica e umas partes do episódio onde se fala do eyePhone 2.0 foram editadas dos clips disponíveis online no site da Comedy Central. Felizmente existem torrents e links do Rapidshare com fartura para o episódio original, sem esta parte removida.

Anda por aí um hype desgraçado com o HTML5, principalmente com as guerras do uso do vídeo. O HTML5 é sinónimo de web semântica, não de vídeo online.

E se alguns fanáticos já andam a ditar a morte do Flash, a verdade é que isso não vai acontecer tão cedo, e não sou eu que o digo, é mesmo a equipa de developers do Youtube.

Youtube a usar HTML5

Para quem lê o blog e não percebe muito disto (aqueles que pensam que Web 2.0 é uma nova versão da Internet :lol: ), o HTML5 não é nada que se instale, é apenas uma especificação. Por exemplo, este blog está em XHTML 1.0, existem sites em HTML4 e todos eles funcionam correctamente, apenas mudam as tags que podem ser usadas e os atributos associados.

Um site em XHTML ou HTML5 não vai ter diferenças de performance ou funcionalidade. Temos também que ter em conta que o HTML5 é, de acordo com a W3C, um working draft e não a versão final.

Sem mais demoras, passo a explicar porque desisti da versão HTML5 do Youtube. Certo que a página carrega de forma mais rápida por não ter que carregar um plug-in, mas todas as restantes desvantagens tornam a tag vídeo em algo totalmente obsoleto para um site como o Youtube.

Vídeos em ecrã completo apenas são suportados por alguns browsers e com aceleração por software. Tentar ver um vídeo em 1080p com WebM do HTML5 em fullscreen não é muito interessante, já o mesmo com Flash e suporte a aceleração por hardware corre bem até em computadores mais fracos como o meu netbook.

Depois temos a questão do streaming, que simplesmente não existe, para isso necessitamos do Flash. Outras funcionalidades como as legendas apenas estão disponíveis com Flash.

Não é o HTML5 que vai trazer o vídeo para a web, quem fez isso foi o Flash numa altura em que se fazia embed de vídeos em WMV, Real Player ou Quicktime. O Flash definiu um standard de vídeo para a web poderoso, e embora tenha problemas de performance em computadores mais lentos, continua a ser a escolha acertada em relação à tag <video>. Se não fosse o Flash hoje sites como o Youtube, Vimeo ou Hulu seriam miragens.

O HTML5 vai ser óptimo para uma internet semântica, tags como o <header> e <footer> fazem mais sentido que um <div id="header">, mas para isso necessitamos que o HTML5 chegue à sua especificação final e de um Internet Explorer 9 com updates frequentes, assim como o suporte retroactivo a HTML5 para o IE8.

HTML5 para vídeo aplica-se a sites com clips vídeo mais pequenos e dimensões reduzidas, sites com conteúdos de alta definição e streaming vão ter que continuar a usar o Flash.

Acabei de ver na SIC e ler no Público que a edição de 2010 do Red Bull Air Race em Portugal foi cancelada por razões que ainda não são ainda conhecidas

Peter Besenyei no Red Bull Air Race - Porto 2009

Esta prova iria ser efectuada em Lisboa, no entanto foi acordado que este ano a prova continuaria nas margens do Douro, sendo organizada entre Lisboa e Porto a cada ano. Segundo a notícia no Público a situação pode estar relacionada com dificuldades económico-financeiras relacionadas com a crise internacional.

Eu já tinha pensado que o Red Bull Air Race tinha acabado ao mudar-se para Lisboa, mas ainda fiquei com esperança que este ano as coisas voltassem à normalidade com a corrida a manter-se nas margens do Douro. Esta foi a machadada final.

Saiu a versão final do Opera 10.60 com um aumento de velocidade no motor de Javascript de 50%, WebM, localização geográfica e outras novidades.

Mas algumas alterações não me agradaram em termos estéticos/funcionais, felizmente existem correcções possíveis!

Opera Software

Existem muitas novidades nesta versão do Opera, mas o que se realmente destaca é o WebM que está agora disponível por defeito e que permite visualizar vídeos sobre o standard HTML5 e a localização geográfica que funciona de forma semelhante ao browser do Android. Nota-se que o Opera está a seguir as pisadas do Google Chrome.

Não vou falar muito destas novidades, até porque podem experimentar para as ver e já existem várias reviews online.

Após instalar a versão 10.60 uma das coisas que reparei de imediato foi no botão do Opera com o texto Menu que fica horrível. Posteriormente ao trabalhar com o Opera verifiquei que o menu de contexto (clique direito do rato numa página) deixou de ter a opção de copiar em primeiro lugar, mas sim a de pesquisa. Felizmente existem soluções.

Ícone de Menu
Se tal como eu não gostam do texto Menu no ícone do vosso Opera basta que cliquem com o botão direito sobre ele, seleccionem Customize > Appeareance… e em Toolbars alterem o parâmetro de Style para Images Only.

Devem clicar mesmo no botão, caso contrário irão remover também o texto das tabs.

Menu de Contexto
No meu local de trabalho uso bastante o Copy/Paste para copiar dados entre vários locais. Instintivamente já não usava o atalho CTRL+C mas seleccionava o texto, fazia clique direito com o rato para abrir o menu de contexto e seleccionava logo Copy por ser a primeira opção.

Infelizmente agora a primeira opção é a de pesquisa. É possível alterar editando os ficheiros de utilizador. Sinto-me um pouco como um utilizador do Firefox, esta alteração deveria ser possível através do ambiente gráfico do próprio browser. Adiante.

Vamos editar o ficheiro standard_menu.ini, para isso temos que aceder às Preferences (CTRL+F12) e em Advanced > Toolbars vamos duplicar o menu original do Opera. Podem obter mais informações sobre como o fazer no blog do Tamil, um dos gurus da personalização do Opera.

Após duplicarem o menu basta aceder ao opera:config para obter a localização do ficheiro que duplicamos, depois é só abrir com o Notepad, procurar por [Hotclick Popup Menu] e encontrar as seguintes linhas:

  1. Item, MI_IDM_SELSEARCH="Hotclick search, 200,,, "Search Web""
  2. Submenu, MI_IDM_SEARCH_DUMMY_PARENT, Internal Search With

A partir daqui a personalização é com vocês. Podem simplesmente remover estas opções colocando ; (ponto e virgula) antes destas linhas, comentando-as, ou mudar a ordem destes itens recolocando o Copy em primeiro lugar, como fiz. Não se esqueçam no entanto da ordem dos separadores que está listada no ficheiro de 1 a 4.

Depois basta fechar e voltar a abrir o browser para as alterações surtirem efeito.

É uma alteração que dá trabalho, é certo, e esta não deveria ser a forma de proceder a estas alterações, no entanto é sempre bom saber que existe um método de manter o browser como nós queremos.

Este segundo trimestre de 2010 viu algumas alterações nos browsers, com os browser alternativos a ganharem mercado ao Internet Explorer.

Estatísticas

 

Browsers
Browsers

O Internet Explorer perdeu utilizadores não só para o Google Chrome como para o Safari e Opera. O Firefox estagnou, após anterior queda de utilizadores para o Google Chrome.

A desactualizada versão do Internet Explorer 6 continua em queda, mas conta ainda com, ironicamente, 6% do mercado dos browsers.

Sistemas Operativos
Sistemas Operativos

Nos sistemas operativos não existem grandes alterações em relação ao trimestre anterior.

Resoluções
Resoluções

Tal como nos sistemas operativos, não existem grandes alterações em relação ao trimestre anterior.

Desta vez é oficial, o update do Android 2.2 (Froyo) para o Nexus One está a ser distribuído por OTA e, segundo o Google, até ao final desta semana todos os utilizadores devem ter recebido a actualização

Google Nexus One

É certo que já existiam vários Nexus One com o Froyo instalado, e alguns chegaram a receber actualizações por OTA para outras versões do Android 2.2, no entanto nunca existiu uma palavra do Google a confirmar estas actualizações.

Alguns sites apenas obtinham informações de developers do Android que confirmavam que aquela não era a versão final.

Confirma-se agora que a ROM FRF85B é a final, e de acordo com o blog do Google para o Nexus One, o update será enviado gradualmente para todos os telemóveis.

Infelizmente para quem tem uma ROM europeia, como é o meu caso, a actualização parece estar mais demorada. Veremos se até ao final da semana o Froyo ficará disponível na Europa de forma oficial.

Numa pequena nota, já está em testes para alguns telemóveis seleccionados a ROM do Froyo para os utilizadores do Motorola Droid / Milestone.

Hoje vários peregrinos da religião Apple foram até às suas igrejas para obter a última criação do seu Deus, Steve Jobs.

É o novo iPhone 4, com suporte a Flash (na câmera :lol: ) e nada aconselhado a quem usa o telemóvel com as mãos!

iPhone 4

Este dia não correu nada bem à Apple, os problemas têm sido verificados em várias unidades, especialmente a falta de recepção e os ecrãs amarelos. Para os ecrãs amarelos diz-se que o problema é da Foxconn que para despachar os telemóveis mais depressa não deixou terminar o processo de evaporação dos químicos que usam para unir o vidro do telemóvel, e que após 2 dias de uso a cor amarela irá desaparecer.

O que certamente não irá desaparecer é a quebra de recepção assim que se agarra no telemóvel. Vídeos como este ou este mostram bem a quebra de recepção que existe assim que se agarra no telemóvel da forma mais natural que existe: com as mãos, nas laterais.

Alguns fanboys da Apple já arranjaram soluções fantásticas. O problema não é do telemóvel, é dos utilizadores com humidade na palma das mãos! Outros aconselham a usar um acessório da Apple para proteger a antena, e alguns optaram por colocar o telemóvel dentro de um saco hermético para não perder recepção :lol:

Actualização a 25/06/2010:
A Apple confirmou, em comunicado oficial, que este problema existe mas ao que parece não é grave e não irá ser resolvido.

“If you ever experience this on your Phone 4, avoid gripping it in the lower left corner in a way that covers both sides of the black strip in the metal band, or simply use one of many available cases.”

A solução? Usar o telemóvel com a mão direita, comprar uma capa protectora ou sei lá… comprar um telemóvel decente? :lol:

 
Copyright © 1985 - 2017 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.