A saga do Need for Speed ainda não recuperou

Saiu um novo Hot Pursuit (2010) para juntar aos vários títulos do Need for Speed. A verdade é que desde o Most Wanted que não acertam uma e esta nova versão apesar de melhor, tem falhas bastante graves num jogo de automóveis como a falta da caixa manual.

GranTurismo no Need for Speed

Sempre fui fã dos Need for Speed, ainda tenho comigo o primeiro Need for Speed para a Sega Saturn e tive o meu computador com dual-boot entre o Windows 98 e o 2000 para poder jogar Porsche Unleashed. Fartei-me de jogar online com o Hot Pursuit 2 e passei dias a jogar o Underground e Underground 2. O Most Wanted era fantástico, voltava a ter carros exóticos e a jogabilidade era muito interessante.

Depois vieram títulos como o Carbon e o ProStreet. A seguir sai o Undercover que ainda consegui jogar durante uma hora até me fartar e o Shift era incontrolável sem um volante.

Agora com o Hot Pursuit (2010) as coisas até estavam a correr bem. Acabou-se o xunning mas continua o nitro que não faz sentido num jogo de carros exóticos. E a falta de uma caixa manual é gritante!

Verdade seja dita o jogo pede para fazermos tanta coisa que usar uma caixa manual é impensável, aliás perco mais tendo a andar em sentido contrário com atenção ao tráfego do que a tentar fazer bons tempos porque sem nitro não se ganham corridas.

Mas o jogo não se devia chamar Hot Pursuit, Exotic Drift seria um nome mais apropriado porque fazer uma curva a direito é uma missão impossível.

É uma pena, parece mais uma espécie de Carmageddon onde andamos a usar EMP’s e tretas do género para parar a polícia em vez de fugirmos como no primeiro Need for Speed ou no Most Wanted. Estava mesmo à espera que fosse uma espécie de Test Drive Unlimited mas com uma jogabilidade de jeito e bons gráficos, afinal parece que vou ter mesmo que esperar pelo TDU2.

 
Copyright © 1985 - 2017 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.