A visualizar arquivo completo com todos os posts do Blog

As placas gráficas consomem cada vez mais energia, e se antigamente isto equivalia a bastante ruído das ventoinhas dos coolers das gráficas, actualmente estas podem funcionar em modo passivo permitindo ter 0 dB de ruído.

MSI GTX 960 4G

Algo que sempre me preocupou nas gráficas foi o aumento de consumo de energia que se tem verificado, os coolers cada vez mais ruidosos e os jogos cada vez mais dependerem da capacidade de processamento das gráficas, deixando o processador e a memória para segundo ou terceiro plano.

Eu sempre me preocupei com o consumo energético do computador, afinal menos energia equivale a menos calor e um pc mais silencioso. Com a saída do GTA V para PC e após algumas horas de jogo com a gráfica que tinha, uma HD 7770, decidi que estava na hora de fazer um upgrade. Esta gráfica funcionava bem em jogos como o Assetto Corsa e Cities: Skylines que são mais recentes e puxam um pouco mais pelo computador, mas o GTA V tem paisagens e detalhes fantásticos que merecia ser jogado com os gráficos o mais próximo do máximo possível.

Fazer um computador silencioso é fácil, mas fazer um computador silencioso e que tenha performance para jogar os títulos mais recentes é que se torna complicado e obriga a escolher os componentes com outros critérios.

Comecei a pesquisar de pé atrás por causa do ruído a que estava habituado, mas fui agradavelmente surpreendido pelos novos coolers que estão a ser utilizados. No caso da gráfica que comprei, uma MSI GTX 960 de 4GB o cooler usado é o Twin Frozr V. O TDP não é exagerado e após algumas reviews no Youtube percebi que ia conseguir manter o mesmo nível de silêncio que já tinha.

O modo de funcionamento é semelhante ao de um radiador de um automóvel e é algo que sempre deveria ter sido adoptado nos computadores. Usa-se um dissipador grande com ventoinhas que estão paradas e apenas a uma certa temperatura (neste caso 60º) é que estas arrancam para arrefecer a gráfica, voltando a desligar quando a gráfica arrefece (perto dos 52º).

Ora, a HD 7770 com o Accelero S1 Plus não passava dos 52º com a ventilação da caixa, logo não iria ser problema. Optei então por a comprar.

O Twin Frozr V

O dissipador é muito parecido com o Accelero S1 Plus, tem vários heatpipes mas tem ligação à parte de cima da gráfica o que ajudar a arrefecer as memórias de forma mais eficiente. Em idle curiosamente o Accelero é mais eficiente, embora o TDP seja superior e o consumo de energia desta gráfica seja de mais 3w em idle, nunca 3w vão equivaler a um aumento de 4 graus. Aqui também pode estar em causa o tamanho da gráfica que é maior, podendo bloquear o airflow.

Antes de começar a jogar instalei o MSI Gamming App que tem um botão que permite arrefecer a gráfica. Testei e assustei-me, o ruído das ventoinhas era demasiado, aliás mesmo com as ventoinhas da caixa e CPU no máximo deixava de as ouvir para só ouvir as da gráfica. Decidi então testar, coloquei o Assetto Corsa com os gráficos no máximo e com todas as ventoinhas da caixa a 540rpm abri o jogo na pista de Nürburgring. A temperatura da gráfica demorou a subir, mas lá chegou aos 60 graus. Achei estranho não ter começado a ouvir um ruído intenso das ventoinhas e vi a temperatura a descer calmamente.

Fiquei satisfeito, mesmo com a gráfica quente o ruído das ventoinhas era praticamente inaudível. O melhor de tudo, é que após 1 mês de uso da gráfica em vários jogos apenas com a ventilação da caixa a temperatura mais alta que verifiquei foi de 57 graus.

Um bom upgrade

Foi uma boa actualização, embora o TDP seja mais alto e o consumo em idle um pouco superior, o nível de ruído manteve-se igual. A gráfica não é um supra-sumo, é verdade, no Assetto Corsa com tudo no máximo apenas consigo 40fps, e ao reduzir os reflexos de Ultra para Very High consigo manter 70fps sem quebras o que é importante num simulador deste tipo.

O consumo energético é que deixa um pouco a desejar, mas no máximo todo o conjunto (computador, monitor e restantes periféricos) chega aos 240w em jogos que puxem bastante pela gráfica como o Assetto Corsa e o GTA V.

Continuam a aumentar o número de utilizadores que fazem o acesso à Internet através de um telemóvel ou tablet. As resoluções de ecrã continuam bastante variadas e o aumento de resoluções baixas de telemóveis é notório.

Estatísticas

 

Browsers
Browsers

O Chrome foi no primeiro trimestre de 2015 o browser maioritário com 51.65% dos utilizadores. O Internet Explorer e o Firefox continuam a perder utilizadores.

No Internet Explorer o número de utilizadores com a versão 11 já está nos 65%, apesar de ter vindo a subir lentamente.

Sistemas Operativos
Sistemas Operativos

Nos sistemas operativos foi verificada uma subida de utilizadores com Android, os restantes mantiveram-se sem grandes alterações.

Resoluções
Resoluções

Nas resoluções de ecrã continua o aumento da resolução 360×640 em vez da mais comum 320×480. Boas notícias para o desenvolvimento de sites responsive.

As estatísticas aqui apresentadas são provenientes de vários sites com um público alvo generalista. São incluídos os dados de cerca de 150.000 utilizadores únicos baseados em Portugal.
Os dados aqui apresentados podem não corresponder ao público alvo do seu website.

O Cities: Skylines é um simulador semelhante ao Sim City onde gerimos uma cidade e todas as suas infra-estruturas.

Foi o primeiro jogo do género a me cativar desde o saudoso Sim City 4.

Cities: Skylines

Sou um grande viciado em Sim City, sempre gostei deste jogo desde a primeira versão até ao Sim City 4 com a expansão Rush Hour que ainda jogava ocasionalmente.

As novas versões do Sim City que saíram entretanto falharam todas em substituir o Sim City 4 e saíram ainda outros jogos de outras empresas que não conseguiram cativar os fãs do Sim City.

Mas agora é diferente. O Cities: Skylines tenta fazer uma simulação semelhante ao Sim City, sendo cada cidadão simulado individualmente, ao contrário do Sim City, excepto quando colocávamos Sims na cidade.

Os pontos positivos e negativos

Os pontos positivos são muitos, principalmente na criação de estradas permitindo fazer pontes, acessos às auto-estradas, tudo de forma livre, sem estarmos dependentes das limitações impostas como no Sim City 4. Os túneis ainda não estão disponíveis mas serão disponibilizados numa futura actualização. Existem também novas formas de energia, a possibilidade de criar distritos e zonas industriais com um tipo de actividade especifica.

É também possível criar caminhos para pedestres, inclusive pontes pedestres que podem ajudar a melhorar a mobilidade dos cidadãos na cidade.

Os edifícios são interessantes e como podemos seguir os vários carros a entrar e a sair da cidade temos uma vista quase em primeira pessoa do que é viver na cidade que criamos e isso faz com que exista interesse em fazer uma cidade boa para viver com espaços verdes e bons acessos.

Mas existem pontos negativos, apesar da liberdade na criação de estradas é difícil ter relatórios gerais de onde vem e vai o tráfego, como existe com o Sim City 4: Rush Hour. É necessário criar um número elevado de aterros e incineradoras (7 aterros e 4 incineradoras para 50 mil pessoas) e é difícil controlar a poluição. Curiosamente a poluição apenas existe no solo e na água, não existe simulação da poluição do ar, pelo que zonas com elevado tráfego mostram zero poluição. Devem ser todos eléctricos ou a hidrogénio.

Faltam também os assessores para nos informar o que existe de errado na cidade, em vez disso temos uma espécie de Twitter com mensagens dos cidadãos, mas bastante chatas, normalmente pouco relevantes para o jogo e cheias de hashtags.

Disponível no Steam

O Cities: Skylines está disponível no Steam e está integrado com a Steam Workshop o que permite aceder a modificações de forma simples e a comunidade já fez vários edifícios e alterações que tornam o jogo mais interessante.

Existe até um antigo designer da Maxis que está a desenvolver edifícios para o Cities: Skylines na Steam Workshop.

Se gostam deste estilo de jogos recomendo o Cities: Skylines. Não é um substituto a 100% do Sim City 4, mas é o que mais perto lá anda.

A 15 de Fevereiro os sacos de plástico começaram a ser cobrados pelas superfícies comerciais. Infelizmente algumas lojas aproveitaram-se e começaram também a cobrar 10 cêntimos por sacos de plástico com espessura superior a 50 microns e até de papel!

O Quero Saco serve para denunciar estas situações.

Preços dos sacos de plástico no Quero Saco.

Não é bem o Mais Gasolina dos sacos de plástico, até porque os preços não estão sempre a actualizar. Criei o Quero Saco porque algumas lojas começaram a cobrar por sacos quando não o faziam e nem são obrigados a o fazer por lei.

O Quero Saco vai funcionar com a ajuda da comunidade, qualquer pessoa pode aceder e deixar o seu comentário, adicionar ou actualizar preços e sugerir novas superfícies comerciais. Não é necessário qualquer registo, no entanto e por esta razão todos os preços e novas superfícies são moderados antes de serem publicados no site.

A ideia é “envergonhar” as superfícies que se aproveitaram desta nova lei que obriga a cobrar 10 cêntimos pelos sacos de plástico de asas com menos de 50 microns de espessura e beneficiar as empresas que continuam sem cobrar sacos ou que optaram por sacos com uma espessura superior e um preço mais baixo que os 10 cêntimos.

Como tem vindo a ser tendência continuam a aumentar os utilizadores que acedem à Internet através de um tablet ou telemóvel, e com a inclusão do Chrome como browser pré-definido nas versões mais recentes do Android este foi o único browser que subiu a percentagem de utilizadores neste trimestre.

25% dos portugueses já usam o telemóvel para navegar na net e 8% usam o tablet.

Estatísticas

 

Browsers
Browsers

O Chrome continua a subir e é quase o browser maioritário com 49.5% dos utilizadores. Os restantes browsers desceram.

No Internet Explorer o número de utilizadores com a versão 9 ou mais recente é de 85%.

Sistemas Operativos
Sistemas Operativos

O número de utilizadores com Windows e Android subiu ligeiramente.

A percentagem de utilizadores com Windows 7 recuou ligeiramente para os 59% e os utilizadores com Windows XP e Vista continuam a descer.

Resoluções
Resoluções

Nas resoluções de ecrã verificou-se um aumento súbito da resolução 360×640 em vez da mais comum 320×480, indicando que os portugueses têm vindo a actualizar os seus telemóveis para equipamentos mais recentes.

As estatísticas aqui apresentadas são provenientes de vários sites com um público alvo generalista. São incluídos os dados de cerca de 150.000 utilizadores únicos baseados em Portugal.
Os dados aqui apresentados podem não corresponder ao público alvo do seu website.

O Assetto Corsa é actualmente um dos melhores simuladores de automóveis, e encontra-se disponível através da Steam.

O jogo foi lançado como “Early Access” sendo financiado por quem ia comprando o jogo e foi sendo terminado até chegar à versão 1.0.

Ferrari F40 no Assetto Corsa

Disponível no Steam o Assetto Corsa é um simulador que foi sendo desenvolvido pela Kunos Simulazioni, uma empresa italiana, que foi fornecendo feedback durante o desenvolvimento do jogo e ouviu a comunidade sobre o que faria do Assetto Corsa um simulador de eleição.

Destaca-se a licença da Ferrari para usar carros como o mítico F40, passando pelo fantástico 458 Italia e o mais recente LaFerrari. As pistas foram passadas da vida real para o virtual com recurso a laser e existe um suporte fenomenal a volantes como o comum G27 a outros setups mais exóticos como Fanatec. Foi o primeiro jogo onde já existia uma configuração para o meu volante que funciona.

Aproveitei a promoção do Steam de 50% de desconto, que infelizmente acabou e está neste momento a 30%, para comprar este jogo que já estava na minha lista de compras.

Comecei logo por conduzir o F40 em Monza e o 458 Italia em Spa por serem duas pistas que já conhecia da Formula 1. Achei estranho ao inicio por estar habituado ao poder de aceleração e travagem dos F1, mas testei depois o Lotus Exos T125 e comecei a perceber melhor que as trajectórias e os limites estavam definidos pelo tipo de carro e não pela pista, um verdadeiro simulador.

Tem um modo de carreira onde começamos com um Abarth 500 EsseEsse e vamos progredindo, alguns desafios com diferentes carros e pistas e o modo de treino onde podemos perder horas e horas à volta numa pista a olhar para o Delta e tentar melhorar alguns milissegundos nas Lesmo ou na Ascari. Existe também um modo online que ainda não experimentei.

Teria que perder muito tempo a explicar tudo o que o Assetto Corsa trás, desde telemetria adicional que podemos escolher, pistas clássicas, alteração da temperatura e altura do dia, etc.

Não é um jogo, é um simulador. É preciso um bom volante para tomar partido das capacidades deste jogo, embora seja possível jogar também com o comando da Xbox 360. Se gostam de conduzir aproveitem para comprar este simulador com desconto até ao fim do ano.

O jQuery é uma das biblioteca de Javascript mais utilizadas, mas será realmente necessária para novos websites?

Com os utilizadores a mudarem os seus hábitos de navegação com a preferência pelo telemóvel e a usarem browsers mais recentes nos computadores o jQuery deixa de ser necessário.

jQuery será necessário?

Estou a desenvolver um novo website e para fazer a validação de dois formulários por AJAX e mostrar uma animação no caso de um erro pensei no jQuery. Já o uso noutros websites e permite criar uma camada de abstracção e corrigir problemas que existiam com browsers mais antigos.

Como o website é novo não vai suportar o Internet Explorer 8, portanto iria optar pelo jQuery 2 que é mais leve. Descarrego o ficheiro, 82,4 Kb, é mais que a página inicial do site que, com todos os ficheiros CSS e ícones ocupa cerca de 70 Kb.

Se dantes desenvolvia sem jQuery porque não voltar a fazer o mesmo? Até porque nunca fui grande fã de bibliotecas Javascript.

Comecei a fazer umas pesquisas sobre alternativas para animações com recurso a CSS3 e encontrei o youmightnotneedjquery.com que fornece código alternativo ao jQuery de acordo com a versão do browser que pretendem suportar.

Assim, em vez de 82 Kb adicionei apenas 3 Kb a este novo website e tendo em conta que terá uma utilização em dispositivos móveis a rondar os 60% a 70% quanto menos tráfego melhor. Não faz realmente sentido incluir uma biblioteca como o jQuery para seleccionar alguns elementos, fazer pedidos por AJAX, obter uma resposta em JSON e mostrar umas animações.

 
Copyright © 1985 - 2017 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.