A visualizar apenas posts da categoria Mobile

Tenho duas boas notícias. O Futurama voltou para uma 6ª temporada, desta vez na Comedy Central, e no terceiro episódio gozaram com o iPhone, a Apple, os seus fãs e o Twitter / Youtube. É caso para dizer “Bite my shiny metal ass”

Futurama e o eyePhone

Não quero adiantar muitos detalhes para não estragar a surpresa a quem ainda não viu o episódio, mas quem melhor que a Mom para fazer de Steve Jobs?

No entanto este episódio já está a gerar polémica e umas partes do episódio onde se fala do eyePhone 2.0 foram editadas dos clips disponíveis online no site da Comedy Central. Felizmente existem torrents e links do Rapidshare com fartura para o episódio original, sem esta parte removida.

Desta vez é oficial, o update do Android 2.2 (Froyo) para o Nexus One está a ser distribuído por OTA e, segundo o Google, até ao final desta semana todos os utilizadores devem ter recebido a actualização

Google Nexus One

É certo que já existiam vários Nexus One com o Froyo instalado, e alguns chegaram a receber actualizações por OTA para outras versões do Android 2.2, no entanto nunca existiu uma palavra do Google a confirmar estas actualizações.

Alguns sites apenas obtinham informações de developers do Android que confirmavam que aquela não era a versão final.

Confirma-se agora que a ROM FRF85B é a final, e de acordo com o blog do Google para o Nexus One, o update será enviado gradualmente para todos os telemóveis.

Infelizmente para quem tem uma ROM europeia, como é o meu caso, a actualização parece estar mais demorada. Veremos se até ao final da semana o Froyo ficará disponível na Europa de forma oficial.

Numa pequena nota, já está em testes para alguns telemóveis seleccionados a ROM do Froyo para os utilizadores do Motorola Droid / Milestone.

Hoje vários peregrinos da religião Apple foram até às suas igrejas para obter a última criação do seu Deus, Steve Jobs.

É o novo iPhone 4, com suporte a Flash (na câmera :lol: ) e nada aconselhado a quem usa o telemóvel com as mãos!

iPhone 4

Este dia não correu nada bem à Apple, os problemas têm sido verificados em várias unidades, especialmente a falta de recepção e os ecrãs amarelos. Para os ecrãs amarelos diz-se que o problema é da Foxconn que para despachar os telemóveis mais depressa não deixou terminar o processo de evaporação dos químicos que usam para unir o vidro do telemóvel, e que após 2 dias de uso a cor amarela irá desaparecer.

O que certamente não irá desaparecer é a quebra de recepção assim que se agarra no telemóvel. Vídeos como este ou este mostram bem a quebra de recepção que existe assim que se agarra no telemóvel da forma mais natural que existe: com as mãos, nas laterais.

Alguns fanboys da Apple já arranjaram soluções fantásticas. O problema não é do telemóvel, é dos utilizadores com humidade na palma das mãos! Outros aconselham a usar um acessório da Apple para proteger a antena, e alguns optaram por colocar o telemóvel dentro de um saco hermético para não perder recepção :lol:

Actualização a 25/06/2010:
A Apple confirmou, em comunicado oficial, que este problema existe mas ao que parece não é grave e não irá ser resolvido.

“If you ever experience this on your Phone 4, avoid gripping it in the lower left corner in a way that covers both sides of the black strip in the metal band, or simply use one of many available cases.”

A solução? Usar o telemóvel com a mão direita, comprar uma capa protectora ou sei lá… comprar um telemóvel decente? :lol:

Tenho andando bastante entretido com o meu novo brinquedo, por isso tenho acompanhado de perto as novidades do Android.

Ora, ontem foi anunciado no blog do Google Mobile que a navegação no Google Maps passou a estar disponível em vários países, Portugal incluído.

Google Maps Navigation

O Google Maps Navigation permite a navegação turn by turn semelhante a um GPS como um TomTom, só que em vez de ter um mapa pré-carregado vai fazendo download do mesmo pela rede e não possui algoritmos complexos para calcular uma rota mais rápida ou para evitar trânsito a uma determinada hora. O ideal era termos acesso a uma forma de pré-carregar os mapas no cartão SD do telemóvel de forma a poupar nos custos de tráfego GPRS.

Se não substitui um GPS, qual é a novidade? Bom, se o GPS ficou em casa sempre temos acesso a um método de navegação alternativo. Também não sei se funciona de forma intuitiva porque ainda não o testei durante a condução.

Nexus One mais perto de outros mercados europeus

Uma das razões pela qual o Nexus não poderia ser vendido “confortavelmente” noutros países era a falta de suporte a um dicionário que não o inglês no teclado, a falta de navegação noutros países e a pesquisa por voz ser limitada em idiomas. Agora também passa a ser possível fazer uma pesquisa por voz em Francês, Alemão, Italiano e Espanhol o que abre as portas para a sua comercialização nestes países.

Existem também rumores sobre o atraso no update para a versão 2.2 do Android no Nexus One, uma vez que este passará a ser comercializado directamente pelas operadoras móveis nos Estados Unidos e noutros países europeus, como acontece na Inglaterra com a Vodafone.

É verdade, não estou a brincar com vocês. O novo iPhone finalmente, após 4 gerações de telemóveis, passa a ter suporte a Flash! Mas não é o Flash da Adobe, é um flash LED para a câmera fotográfica. :lol:

Aliás, o iPhone vem com inovações brutais como o multitasking (WM5 já fazia isso) e uma câmera adicional para vídeo-chamada, aquela coisa que ninguém usou e passou de moda. Mas a vídeo-chamada do iPhone é especial, apenas funciona por Wi-Fi e não por rede celular.

iPhone 4

Agora que já corri com os fanboys da Apple de volta ao Twitter, o seu habitat natural, para falarem mal de mim, vamos lá a analisar as novidades do iPhone 4 de forma sarcástica. :lol:

Primeiro o design do telemóvel faz-me lembrar o meu LG KS20, só que o LG tinha um joystick feio, o iPhone tem botões feios. Adiante, que no Gizmodo já dissertaram bastante sobre isto.

Depois o multitasking. Em 2010 uma empresa anunciar que o seu telemóvel finalmente faz multitasking não faz sentido. Telemóveis com processadores a 200MHz e WM5 sempre o fizeram.

E por falar em WM5, tanto o iPhone OS 4 como o Android 2.2 só agora é que anunciam tethering por USB? No Android 2.2 ao menos anunciam a possibilidade do telemóvel ser um hot-spot Wi-Fi, é que existem telemóveis a dar acesso à Internet a outros dispositivos faz anos. Aliás, sempre liguei o meu portátil à web pelo telemóvel.

Ah, e o Flash que não é o Gordon nem o da Adobe! Finalmente podemos tirar fotos com flash de LED e a 5MP quando existem telemóveis que são autenticas máquinas fotográficas e com flash a sério como alguns Sony Ericsson ou Nokia.

E a vídeo-chamada, quem usa? Foi um dos fiascos dos últimos tempos, tão grande que grande parte dos fabricantes de telemóveis deixaram de fazer dispositivos com essa capacidade. Eu consigo ter uma conversa sem estar a olhar para uma pessoa a abrir e fechar a boca. Mas o pior mesmo é que a vídeo-chamada apenas funciona por Wi-Fi e não por rede celular… :lol: eu sei… :lol:

É incrível, o Steve Jobs é Deus. Ele apresenta um telemóvel com novidades que existem em telemóveis de entrada de gama à 2 ou 3 anos e todo o mundo exclama “ahhh!, ohhh!” como se fosse uma novidade brutal. Mas isto tem uma explicação, em telecomunicações a Europa sempre foi mais avançada que os Estados Unidos, basta ver os terminais que empresas como a Nokia lançam que não chegam a ver a luz do dia do outro lado do atlântico.

A mim faz-me confusão como um telemóvel que, desbloqueado, pode custar €1000, apenas agora incluí funcionalidades que telemóveis que custavam 5 vezes menos já possuíam à 2 ou 3 anos atrás. Mas vai vender bem, até podiam lançar um telemóvel que só mostrava uma maçã no ecrã que vendia na mesma.

Actualização a 10/06/2010:
Passou-me completamente ao lado uma das funcionalidades da vídeo-chamada: a acessibilidade.

O Luís alertou-me para este facto, pois é uma óptima maneira de surdos-mudos poderem comunicar com linguagem gestual pelo telemóvel.

Mantenho a minha posição em relação à Apple apresentar “novidades” com vários anos de atraso, mas realmente em termos de acessibilidade a vídeo-chamada pode ser útil

Nunca fui de trocar de telemóvel regularmente. Se sai um modelo novo que tem mais 30 minutos de autonomia ou mais 1MP, para mim é igual.

Comigo os telemóveis duram sempre no mínimo 2 anos no activo e apenas troco porque avariou ou já está de acordo com as minhas necessidades actuais.

Depois apareceu o Nexus One.

Google Nexus One

O Nexus One foi um telemóvel que me agradou bastante, não porque consiga fazer mais coisas que o LG KS20 com WM6 que tinha, mas porque as faz de uma forma mais intuitiva e simples.

Grande parte dos serviços online que uso giram à volta do Google, logo a sua integração com o GMail e os seus contactos, o Google Calendar e o GTalk são perfeitos para o uso que lhe iria dar, afinal além do envio de SMS/MMS e chamadas, o que mais faço no telemóvel é consultar o email e navegar na net.

Por fora

Sempre gostei de telemóveis pequenos e leves, o Samsung S300M que tive é um bom exemplo disso. Ao passar do LG KS20 para o Nexus One o que notei mais foi o peso, afinal passei de 90g para 130g.

O telemóvel tem um toque e manuseamento robusto, o corpo com partes em metal ajuda, assim como o peso acrescido que faz com que este se sinta bastante sólido nas nossas mãos.

O ecrã é enorme e tem uma qualidade fantástica, ou não fosse ele LED. Apesar do seu baixo consumo, num dia normal de uso com 3G activo e sincronização de dados a funcionar, o ecrã consome cerca de 50% da energia utilizada pelo telemóvel. Para conseguir descarregar a bateria toda em 24 horas é necessária uma utilização intensiva com jogos e aplicações que usem muito o processador.

Utilização por toque

Algo que sempre me chateou no WM6 foi ter que usar a stylus para aceder a algumas funcionalidades, porque não foi pensado para usar com os dedos. O Android foi feito a pensar nisso, afinal de contas temos 10 stylus incluídos no nosso corpo.

O ecrã é bastante simples de usar e responde bem ao toque, não é muito sensível mas também não precisamos de bater no ecrã para carregar num botão.

Li vários testes onde se queixavam dos botões por toque. Eu não tenho razões de queixa, se calhar por estar habituado a este tipo de botões nos ecrãs e televisões LED da LG. Aliás, se os botões fossem mecânicos iriam estragar o design do telemóvel.

O trackball é que, para mim, não tem grande uso. Gosto que se possa clicar com ele, pois em certas situações é mais rápido para activar o teclado, mas tirando isso ainda não lhe encontrei grande utilidade.

O Android e as aplicações

Já tinha testado o Android através do emulador, mas com o rato a experiência deixa muito a desejar. É um sistema operativo interessante, está a amadurecer rapidamente e deixou de ser um sistema operativo geek. É simples de usar e podemos depender dele para o dia a dia.

Existem várias aplicações gratuitas no Android Market que são fantásticas, mas as que mais impacto têm são as do Google. O Google Goggles por exemplo é muito interessante, e é uma aplicação que ainda ando a explorar.

Mas o que gosto mesmo no Android é a capacidade de personalização. Estão disponíveis 5 homescreens que podemos personalizar como quisermos. Adicionar widgets, atalhos para aplicações ou endereços web, existe liberdade total.

O Nexus One em Portugal

É provável que o Nexus One demore a aparecer em Portugal ou noutros países europeus de forma oficial. O teclado apenas corrige erros e sugere palavras em inglês, a funcionalidade de voz para texto apenas funciona com palavras inglesas e a navegação no Google Maps também está limitada a alguns países.

Ainda em versão Alpha e com mais de 1 ano de atraso, finalmente o Mais Gasolina Mobile passa a estar disponível. Esta foi a razão porque falei tanto recentemente no Opera Mini.

Agora os preços dos combustíveis passam a estar disponíveis em qualquer lugar!

Mulher a usar o telemóvel

O endereço é http://m.maisgasolina.com e por enquanto encontra-se em versão Alpha, faltam várias opções e funcionalidades, mas serve para ter uma ideia do que irá ser o site móvel do Mais Gasolina. As recentes notícias assim obrigaram a um lançamento abrupto, uma semana antes do esperado.

Foi colocado online ontem de madrugada e já tive algumas visitas e feedback positivo, assim como sugestões bastante interessantes para continuar o desenvolvimento do Mais Gasolina Mobile.

Aplicação ou site, escolha difícil?
Andei a estudar a possibilidade de criar uma aplicação do Mais Gasolina para o Android, o sistema operativo do Google, por ser opensource. No entanto isto iria implicar custos no desenvolvimento da aplicação em equipamentos para teste e a aprendizagem de novos métodos de programação que iriam atrasar o seu desenvolvimento.

Depois, claro, iria ter um sistema a que apenas 7% do mercado iria ter acesso. Então se a Nokia domina o mercado, porque não desenvolver na plataforma Symbian? Aplicam-se as mesmas limitações que no Android e o sistema Symbian não é aberto nem tem uma comunidade com partilha de código como no Android.

Com o Opera Mini 5 tudo mudou, é um browser com um processamento interessante e sendo o mais utilizado em todo o mundo poderia usar a minha linguagem preferencial e desenvolver um site móvel a que muitos utilizadores podem ter acesso.

O objectivo do Mais Gasolina Mobile
Quando comecei a pensar no desenvolvimento do Mais Gasolina Mobile foquei-me nalguns pontos chave. Ser extremamente leve, ter apenas a informação essencial e permitir uma utilização intuitiva e rápida quer com navegação por touchscreen ou com teclado. Os próprios endereços são curtos a pensar na sua utilização no telemóvel.

Assim optimizei ao máximo o Mais Gasolina Mobile para o Opera Mini e simplifiquei a navegação o máximo que pude.

Continuação do desenvolvimento
O Mais Gasolina Mobile ainda não está apto para uma utilização diária, não é ainda um site móvel de que se possa depender. Esta situação irá mudar certamente até ao final da semana, altura em que a versão Beta deveria estar pronta para ver então a luz do dia.

Espero assim ir de acordo com as necessidades dos utilizadores do Mais Gasolina que já usam o site em casa para consulta e possuem os postos nos seus GPS. Agora basta aceder a http://m.maisgasolina.com para poupar no combustível quando não existe um computador por perto.

 
Copyright © 1985 - 2017 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.