A visualizar apenas posts da categoria Motores de Busca

Conseguir o primeiro lugar no Google num termo competitivo não é fácil, no entanto muitas empresas que fornecem serviços de optimização para motores de busca fazem-no parecer como a tarefa mais fácil do mundo.

O problema é que os primeiros lugares que conseguem não são de termos competitivos, mas passam a mensagem aos seus clientes que fizeram um óptimo trabalho para garantir o primeiro lugar no Google.

Google

Acho graça quando uma empresa diz que domina o SEO porque conseguiu para o seu cliente o primeiro lugar no Google para a pesquisa por “quero saber o preço da carne no talho do zé”, um termo que ninguém pesquisa claro está. E o cliente fica todo satisfeito!

Outros lançam um site e depois vêm as estatísticas e dizem ao cliente que o site deles está muito bem posicionado para uma palavra qualquer para a qual nem fizeram nenhum trabalho de optimização mas até recebe 15 cliques por mês. É como dizer que eu sou um grande “optimizador” porque recebo muitos cliques de pessoas que procuram “como ser agricultor” no Google :lol:

Garantir o primeiro lugar no Google para um termo competitivo é difícil e está dependente de muitas variáveis externas, as quais não controlamos. Aliás, é por causa dessas variáveis terem um peso tão grande no algoritmo do Google que os seus resultados tem uma qualidade superior aos resultados do Bing por exemplo ;)

E garantir o primeiro lugar no Google para um termo competitivo nem sempre é sinónimo de muitas visitas, o termo pode nem ser pesquisado ou o nosso site pode falhar na entrega da mensagem nos SERP’s.

Na optimização para os motores de busca fazem-se vários erros que levam a resultados pouco satisfatórios quer para o cliente que encomendou o serviço, quer para o utilizador que efectua uma pesquisa e perde o que poderia ser conteúdo interessante, por filtrar o que considera spam nas páginas de resultados dos motores de busca.

Motor de pesquisa Google

O grande problema é que alguns destes SEO’s têm as suas prioridades invertidas e limitam-se a optimizar uma página a pensar nas máquinas que as vão ler e classificar, apenas para mostrar que conseguem colocar um site num dos 10 primeiros resultados para determinada keyword, deixando o factor humano, que gera receita, para último lugar ou totalmente esquecido.

É verdade que a utilização de keywords e frases especificas ajudam bastante no processo de optimização para motores de busca mas não podemos fazer apenas websites para máquinas. Se vou ao Google e faço uma pesquisa por “bacalhau” à procura de receitas de bacalhau é muito provável que não clique num resultado cujo título seja “Bacalhau – Bacalhau – Bacalhau” e a descrição “Bacalhau. Tudo sobre Bacalhau. O melhor site de Bacalhau”. Se o título for “Bacalhau – Site das receitas” e a descrição “Mil e uma maneiras de preparar Bacalhau. Bacalhau à Zé do Pipo, Bacalhau à Brás…” se calhar já me sinto mais tentado a clicar e sei de antemão que tipo de conteúdo posso esperar daquele resultado.

Claro que se clicar num resultado que me pareça interessante e não encontrar nada do que me foi descrito vou bloquear mentalmente aquele site e provavelmente nunca mais lá volto. É portanto de evitar cair no “síndrome do politico”, não devemos prometer algo que sabemos que não vamos cumprir.

O título e descrição de uma página devem ser vistos como um anúncio, têm que cativar o utilizador de uma forma efectiva. É quase como se fosse um anuncio no Adwords, de nada nos servem os cliques se não temos um retorno do valor pago pela visita. No caso dos SERP’s não se paga pelo clique, é verdade, mas podemos pagar de uma forma mais cara, com a reputação do site/marca/empresa. Afinal de contas, se me estão a tentar enganar a clicar num determinado resultado apenas para os visitar, se optar pelos seus serviços/produtos quem me garante que não me irão enganar novamente?

A optimização para motores de busca ou SEO (Search Engine Optimization) como é mais conhecido é algo que tenho praticado e aplicado fortemente em todos os meus projectos já à alguns anos com óptimos resultados. Esta pratica de optimização para motores de busca permite melhorar a performance de um site ou de uma página especifica nos SERP’s (Search Engine Result Pages) ou páginas de resultados em português.

Pesquisa no Google por Eduardo Maio

Para ser sincero nem gosto de usar o termo SEO, nem me considero um SEO pois esses estão negativamente conotados com o spam de keywords, links ocultos, cloaking e outras práticas que não são recomendadas.

Aliás esses SEO’s, principalmente em Portugal, oferecem um serviço de optimização de busca que não passa de um simples keyword stuffing cujos resultados deixam muito a desejar, chegando mesmo a criar penalizações nos motores de busca. Já os que até conseguem resultados nas primeiras páginas dos SERP’s falham redondamente na entrega da mensagem, mas provavelmente prometem apenas tráfego e não vendas, depois temos um bounce-rate de 90% ou mais.

Actualmente grande parte destes SEO’s passaram a apelidar-se de marketeers e, como as suas práticas ultrapassadas deixaram de funcionar, dedicaram-se aos sites sociais e ao spamming de links em vários perfis como no Facebook ou no Twitter.

A optimização para motores de busca não é uma grande ciência, é até bastante fácil de explicar como funciona, a sua aplicação é que requer tempo, paciência e muito fine-tuning pelo caminho. Primeiro que tudo devemos criar bom conteúdo que satisfaça aqueles que procuram determinada informação, esquecendo totalmente que existem motores de busca. Depois temos um trabalho de pesquisa onde tentamos encontrar palavras-chave pesquisadas por quem procura a informação, produto ou serviço que fornecemos, analisamos o trabalho necessário para conseguir bons resultados, medimos bem os prós e contras de cada frase pesquisada e escolhemos as melhores. Fazemos depois a optimização dentro da página no texto, título e descrição e aguardamos pacientemente sem alterações para ver como se comporta a página nos motores de busca.

Na optimização para motores de busca existe muito trial and error e nem sempre acertamos à primeira. A regra de ouro é nunca sacrificar conteúdo para obter os primeiros resultados nos SERP’s e é isto que difere entre uma boa e uma má optimização, ou entre um site com algumas visitas e muitas vendas ou um site com muitas visitas e poucas vendas.

 
Copyright © 1985 - 2017 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.