A visualizar apenas posts da categoria Séries TV

Tenho acompanhado a série Home of the Future que passa no Channel4 e ando a descobrir algumas coisas interessantes. Nunca fui muito dado a gadgets mas mostram lá algumas coisas úteis como uma ventoinha da Dyson sem pás e que pode ser silenciosa a baixas velocidades.

Dyson AM02 Tower Fan

Fanático pelo silêncio como sou claro que tive que investigar. Aparentemente funciona de forma semelhante a um jacto para puxar e acelerar o ar, e como não tem pás a rodar é seguro para quem tem crianças ou animais em casa. O design também é porreiro.

O grande problema destes gadgets é o preço. A 450USD ficamos com valores muito próximos de um ar condicionado mediano que faz frio e calor.

A série é interessante, tem mostrado uns gadgets que controlam a quantidade de electricidade, água e gás que gastamos. Temos até estufas interiores onde podemos plantar tomates ou ervas de cheiro dentro de casa. E claro, o gadget mais esquisito que vi até hoje, um caixote do lixo que tira fotografias do que colocamos no lixo e publica no Facebook. O objectivo é obrigar o pessoal a reciclar, humilhando-os publicamente se lá colocarem lixo que podia ser reciclado. Deve ser um produto com muita saída :lol:

Tenho duas boas notícias. O Futurama voltou para uma 6ª temporada, desta vez na Comedy Central, e no terceiro episódio gozaram com o iPhone, a Apple, os seus fãs e o Twitter / Youtube. É caso para dizer “Bite my shiny metal ass”

Futurama e o eyePhone

Não quero adiantar muitos detalhes para não estragar a surpresa a quem ainda não viu o episódio, mas quem melhor que a Mom para fazer de Steve Jobs?

No entanto este episódio já está a gerar polémica e umas partes do episódio onde se fala do eyePhone 2.0 foram editadas dos clips disponíveis online no site da Comedy Central. Felizmente existem torrents e links do Rapidshare com fartura para o episódio original, sem esta parte removida.

Já todos sabemos de frente para trás a história da 2ª Guerra Mundial com a entrada dos aliados na Europa através de Normandie, como aliás retratou bem a série Band of Brothers, e a queda de Hitler.

No entanto, do outro lado do globo uma guerra mais devastadora tinha palco no Pacífico, mas pouco se viu do que se passou por lá, e é aí que entra a mini-série The Pacific.

The Pacific

Dos mesmos realizadores de Band of Brothers, e no mesmo formato, The Pacific é baseado nos livros com as memórias de dois U.S. Marines: With the Old Breed: At Peleliu and Okinawa de Eugene Sledge e Helmet for My Pillow de Robert Leckie.

O primeiro episódio foi para o ar a 14 de Março e irá ter 10 episódios transmitidos em HD. Bastou ver os primeiros minutos deste episódio para perceber que esta vai ser mais uma grande mini-série, bem ao nível de Band of Brothers. Aliás, aconselho quem gostou desta série a não perder The Pacific.

Desde que descobri o Conan O’Brien que raramente perco um dos seus programas. Fiquei fã com o Late Night, acho imensa piada aos monólogos e a todo o nonsense e gostava principalmente dos programas com um comediante a fazer stand-up.

Acompanhei com expectativa os últimos programas de O’Brien e Leno até ser feita a “troca” para o Tonight Show, mas aparentemente após 7 meses esta é a última semana do programa.

Conan O'Brien e Masturbating Bear

Também me agrada o programa do Leno, gosto principalmente dos headlines e o monólogo também é interessante, no entanto penso que está na altura de dar lugar a outro. Infelizmente isso não aconteceu, o novo programa do Jay Leno teve fracas audiências e a medida a adoptar era colocar o Tonight Show a começar mais tarde.

O Conan não achou piada e vai sair da NBC com 32 milhões de dólares, rumores dizem que deverá passar para a Fox no final do ano.

Durante esta semana ele tem aproveitado para abusar um pouco e gastar dinheiro à NBC com coisas caras e sem sentido como um Veyron mascarado de rato com música de fundo dos Rolling Stones. Ainda tivemos a visita de um velho amigo, e a minha “mascote” favorita a seguir ao Triumph, o Masturbating Bear!

É pena o Tonight Show ficar por aqui com o Conan O’Brien, veremos se na Fox (caso se concretize) ele irá manter o seu alto nível de comédia e voltar aos bons velhos tempos do Late Night com toda a sua equipa em peso.

A 8ª temporada do Family Guy começou com um episódio que vale a pena registar. Atrevo-me até a dizer que este episódio foi provavelmente o melhor de Family Guy de sempre.

Family Guy - Road to the Multiverse

O Stewie e o Brian embarcaram numa nova aventura “Road to…”, desta vez saltaram entre universos paralelos com variadas diferenças para o universo em que viviam.

Começaram com uma versão de Quahog super avançada porque o cristianismo nunca tinha sido criado, passando por um universo onde todos os personagens de Family Guy faziam parte dos Flinstones, desenhados tal e qual como o programa original. O mesmo se repetiu para o Robot Chicken, uma espécie de manga japonesa e para mim o mais engraçado de todos, um universo onde tudo era desenhado por Walt Disney.

Sem dúvida um episódio a não perder, mesmo por aqueles que não são fãs de Family Guy.

Existem vários programas televisivos que não perco, embora não os veja na televisão nacional. Um deles é o Cops, um programa que dá na Fox e que está no ar desde Março de 1989, começou depois de uma greve dos guionistas. Deliro sempre que oiço os Inner Circle a cantar a Bad Boys.

Cops na Fox

O Cops passa-se sem qualquer tipo de guião ou comentário, é o chamado “cinéma vérité”. Dá gosto ver que num país do outro lado do atlântico ainda existe respeito pelas forças da autoridade e existem meios para tentar combater a criminalidade. É verdade que por vezes com tanto equipamento não se safam e fazem coisas bem estúpidas, mas também mostram esses episódios.

Falando no Cops, lembro-me do antigo Histórias da Noite que seguia mais ou menos o mesmo estilo, só que em vez de carros potentes e vários tipos de armas, os nossos heróis da PSP faziam perseguições em Fiat Punto e com armas que encravavam mais vezes do que disparavam. Mas por cá a série era vista como demasiado opressora para os criminosos e como mostravam a nossa falta de meios, lá acabou. É pena, era uma série que fazia falta por cá em horário nobre para abrir os olhos de muita gente.

Semelhante ao Cops tento também acompanhar, vindo de terras de sua majestade, o Motorway Cops, o Cops With Cameras e o mais recente You’re Nicked. Estes já vão mais de acordo com a nossa realidade, pois nunca vi um único tiro a ser disparado e mesmo com polícias atropelados eles limitam-se a bater nos carros com extensíveis não vão eles magoar o “suspeito”. :lol:

Uma das razões pela qual achava que o Fifth Gear era um óptimo complemento ao Top Gear era precisamente por causa deste senhor, Jon Bentley, e os seus segmentos no programa com conselhos e informações úteis para o motorista.

Lembro-me perfeitamente de um destes segmentos onde o Jon testou se existia problema em colocar gasolina num carro a gasóleo e vice-versa, algo que acontece mais frequentemente do que se pensa.

Jon Bentley

Claro que quando os segmentos dele deixaram de aparecer e o Fifth Gear se tentou aproximar cada vez mais do nonsense do Top Gear o programa perdeu o interesse. Especialmente quando para seu lugar ficaram os conselhos estúpidos do Jonny Smith, que nos diz que se queremos ter um Ferrari F430 mas não temos dinheiro podemos optar por um Opel Calibra vermelho. :roll:

Mas hoje descobri porque saiu do Fifth Gear, como estava aborrecido decidi ver que tipo de programa era o Gadget Show, e aí estava ele. Curiosamente continua a fazer o mesmo tipo de “consumer advice”, mas desta vez sobre gadgets.

O programa é interessante, embora não seja grande fã de gadgets nem geek para achar piada a algumas das coisas que por lá falam, mas sempre me vou mantendo informado e pode ser que encontre algumas coisas novas por lá.

 
Copyright © 1985 - 2017 Eduardo Maio. Alguns direitos reservados.
eduardomaio.net - Às vezes mais valia ser Agricultor do que Programador
Ao navegar no blog eduardomaio.net está a concordar com os termos legais e de privacidade.